home   contact   admin

"Umbanda: a manifestação do espírito para a prática da caridade!"
Caboclo das Sete Encruzilhadas

Umbandistas realizam abertura da Vigília pelos Direitos Humanos no Rio +20

O Movimento Umbanda do Amanhã (MUDA) realizou a abertura da ‘Vigília pelos Direitos Humanos’ na tenda principal do Espaço Religiões por Direitos, promovido pela coordenação da Cúpula dos Povos. O evento aconteceu na noite do dia 17 de junho, no Aterro do Flamengo. A idéia da organização foi promover um ato que representasse a comunhão de idéias e sentimentos para mundo visando às próximas gerações.

Por meio das simbologias e expressões das diferentes tradições religiosas, a ação reuniu representantes de todos os segmentos religiosos. Uma Carta de Intenções, escrita a várias mãos, foi lida pelos representantes de cada religião. Além da abertura do encontro, coube ao MUDA a leitura do trecho que descrevia a importância da união dos homens para lançar a semente do amor, nos quatro cantos do planeta. O documento foi formulado pelos membros da Cúpula, desde a ECO 92. Aprimorado neste evento, foi divulgado oficialmente nesse dia.

Os umbandistas marcaram presença durante o Rio +20. A proposta principal do MUDA foi mostrar os cuidados que os religiosos devem ter com o meio ambiente. Foram duas semanas de convivência e participação junto a instituições religiosas e civis, na construção de ideias, debates e documentos que traduziram as expectativas e reivindicações que envolveram questões como meio ambiente, defesa da preservação da natureza, dos direitos humanos, culturais e religiosos.

Para o presidente do MUDA e dirigente da Tenda Espírita Caboclo Flecheiro da Cobra Coral (TECAF), Marco Xavier, o convite para ser o representante da Umbanda significou uma oportunidade para expressar a religião genuinamente brasileira, defensora da natureza, que comunga com Deus através de práticas religiosas que respeitam os seres vivos e não agridem o meio ambiente.

“Se a natureza for destruída, perderemos nossa força e acabaremos extintos, assim como toda a população do planeta. Salientamos a necessidade de revermos as nossas práticas, sem codificar a Umbanda. Sugerimos que cada terreiro faça sua parte de acordo com a orientação de seus mentores espirituais, respeitando a identidade de cada casa, sem querer formatar suas ritualísticas. Procuramos exemplificar neste encontro global todas as atitudes que o MUDA vem tomando para este aprimoramento”, concluiu o sacerdote.

Rose de Figueiredo é jornalista, médium da Tenda Umbandista Caboclo Flecheiro (TECAF)

Agenda

AGOSTO 2020
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Eventos do Muda

.